segunda-feira, 21 de julho de 2014

Prestação de contas da festa junina do comando de mobilização de Niterói

Esclarecimento: não houve barraquinha própria. Houve uma única barraquinha, do coletivo da categoria que organizou a festa.

Valor total de convites vendidos: R$ 800,00

Descartáveis: R$ 30,70
Refrigerante e água: R$ 134,90
Salsicha e batata palha: R$ 15,92
Pé de moleque: R$ 9,99
Tapioca: R$ 7,20
Coco: R$ 4,20
Doce de abóbora e Maria mole: R$ 27,98
Paçoquita e bala de banana: R$ 28,27
Compras de comidas para os caldos: R$ 136,51
Comandas de papel para a venda: R$ 14,00
Gelo: R$ 24,00
Cerveja: R$ 412,80
Cerveja: R$ 309,60 (Devido à falta de dinheiro, esse valor foi colocado no cartão do colega Vinícius.)
Doações:
(As doações feitas foram revertidas para a arrecadação do coletivo da festa.)
Canjica: Carla
Quentão: Carla
Pão para cachorro quente: Jacqueline
Cocada: Eliane (Descontada do município)
Feijão: Eliane (Descontada do município)
Cuscus: Natália
Caldo de ervilha: Varvara
Torta de atum: Alberto (Descontado do município)
Catchup, mostarda, maionese: Sérgio (Descontado do município)
Bolo de aipim: Natália
Cup Cake: Ludmila
Refrigerantes (30): Rachel
Bandeirinhas: Deuza
Camisas: Deuza
Camisas vendidas (Valor R$ 25,00): 6 camisas (Total: R$ 150,00)
Garrafa de Absolut (Que foi rifada): Aline (Descontada do município)

Valor arrecadado com a rifa: R$ 215,00

Total arrecadado (com a rifa): R$ 2946,00

Agradecemos a presença de cada um. Agradecemos todas as doações e todos os esforços dos colegas que realizaram a festa.


O comando de greve da rede estadual do Sepe Niterói, seguindo a deliberação, sobre a campanha financeira, da assembleia local do dia 04/07, realizou uma festa junina com o objetivo de auxiliar os profissionais descontados. A festa foi realizada com todo o esforço dos companheiros do comando que doaram seu trabalho e generosidade.
O dinheiro arrecadado foi através de uma única barraca organizada pelo coletivo do comando que promoveu o evento através de doações e da arrecadação da venda dos convites. Não houve barraquinha individual, apenas a barraca unificada.

A assembleia local do dia 19/07 deliberou sobre os critérios de divisão do valor arrecadado:

Os critérios de prioridade para receber a ajuda financeira são: Ter seu contra cheque zerado pelo município (pois sabemos que se trata de uma situação mais crítica) e ser do núcleo Niterói (residentes ou que trabalham na cidade). Os companheiros que foram prejudicados pelo governo por terem feito a greve, por favor, compareçam no Sepe Niterói até o dia 24/07 (quinta-feira) para que possamos fazer a relação dos descontados. Pedimos que apresentem: Contra cheque zerado e Comprovante de residência.

Agradecemos a presença de cada um em nossa festa e também todas as doações e todos os esforços dos colegas que doaram seu trabalho e fizeram esse ato de solidariedade. Foi uma festa realizada pelo comando de mobilização da rede estadual de Niterói, em prol do coletivo da categoria.


quarta-feira, 9 de julho de 2014

Campanha de Solidariedade - Redes Estadual e Municipal do Rio - VAI TER FESTA!

ATENÇÃO CATEGORIA E POPULAÇÃO!

VAI TER FESTA JUNINA!

- Sábado, 12 de julho, 14 horas!
- Local: Casa do SINTUFF

(Praça Nilo Peçanha, 29, Ingá, Niterói)
- Convites/entradas: R$ 5,00!


Festa de Campanha de Solidariedade! Apoio a colegas das Redes Municipal e Estadual do Rio que estão sob ataque dos governos Paes e Pezão (salários cortados/descontados, perde de origem/lotação, ameaça de demissão).

Chega junto! Com solidariedade e união, ninguém fica para trás!

Evento: https://www.facebook.com/events/671560919587475/

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Rede Estadual - TODOS NA ALERJ / Rede Municipal de Niterói - Reajuste Miséria do Governo...

ATENÇÃO CATEGORIA - Rede Estadual

TODOS E TODAS NA ALERJ!

E a luta da Rede Estadual (em greve unificada com a Rede Municipal do Rio) chega a um momento decisivo! Terça-feira, 25 de junho, deverá ser votado o Projeto de Reajuste do Governo, na ALERJ. O SEPE apresentou 13 emendas com as Pautas da categoria: as principais falam do reajuste de 20% (a proposta do Governo são miseráveis 6,99%), das 30 horas dos Funcionários, 1/3 de Planejamento e a retirada dos inquéritos contra os Grevistas! É o momento, então, de uma importante batalha! TODOS/AS NA ALERJ!

_________________________________________________________________________________

ATENÇÃO CATEGORIA - Rede Municipal de Niterói!

Governo apresenta reajuste miséria!
E ignora das Pautas da Categoria, da Educação!

E no final da semana, dia 19 de junho, o Governo enviou para a Câmara dos Vereadores sua proposta de reajuste miserável: 6,5%. E somente isso, ignorando não só as Pautas Salariais, mas várias outras Pautas importantes da categoria e da Educação! Vamos aceitar isso? O SEPE convoca: TODOS/AS NA ASSEMBLEIA GERAL DA REDE, quarta-feira, 24 de junho, a noite, 18 horas, na sede do SEPE-Niterói!



segunda-feira, 9 de junho de 2014

Rede Municipal de Niterói - A LUTA CONTINUA - Primeiras iniciativas da organização da luta pela Base!

Rede Municipal de Niterói

Ações da Luta que Continua!

10 de Junho - Terça-Feira
- 15h, Reunião de Merendeiras no SEPE-Niterói -
- 16h, Comissão de Educação da Câmara -
- 18:30, Comando de Mobilização no SEPE-Niterói -

12 de Junho - Quinta-Feira
- ATO, Nossa Copa é na Rua, 10h na Candelária, Rio -

Olá colega! Dando consequência às resoluções aprovadas na última Assembleia Geral da Rede Municipal - dia 04 de Junho. O SEPE-Niterói convoca a categoria para participar das iniciativas já resumidas acima no título. São as primeiras ações da mobilização que queremos construir pela base da categoria, buscando envolver todos e todas na luta! Como já dissemos, a luta continua! É necessária toda forma de pressão sobre o Governo para conquistarmos nossas várias Pautas de Reivindicações! Mas para termos conquistas, precisamos de todos/as na luta! Sem luta, não há conquistas! Vamos juntos?

Terça-Feira, 10 de Junho
- Reunião das Merendeiras
- Comissão de Educação da Câmara
- Comando de Mobilização da Rede

Na terça-feira, dia 10 de junho, convidamos a categoria para três atividades MUITO IMPORTANTES!

Primeiro, as 15 horas, uma Reunião das Merendeiras da Rede, na sede do SEPE-Niterói. O objetivo da reunião é aprofundar o debate sobre as Pautas específicas deste setor da categoria, um dos mais prejudicados pelas negligências do Governo.

Em segundo lugar, as 16 horas, chamamos a categoria a ajudar numa intervenção na Reunião da Comissão de Educação da Câmara dos Vereadores, que se reúne neste dia e horário. O objetivo da intervenção é pressionar para que os/as Vereadores/as da cidade se posicionem em defesa das Pautas da Educação Municipal. Nossas Pautas Salariais, a questão urgente das 30 horas dos Funcionários, os direitos dos Aposentados, os problemas com o direito do 1/3 de Planejamento do Magistério, a revisão da modulação dos Pedagogos da Rede, as condições de trabalho, de ensino, etc. Lembrando que faz da Comissão de Educação da Câmara o ex-secretário de Educação, Professor Waldeck Carneiro - que quer os votos da Educação para deputado nesse ano de 2014!

E por fim, no dia 10 de Junho, convidamos a categoria a participar do Comando de Mobilização da Rede Municipal, as 18:30, na sede do SEPE-Niterói. O Comando é muito importante, é a direção democrático do nosso movimento, que incorpora a Direção do SEPE-Niterói e colegas da base que queiram participar dos rumos das lutas. Nessa reunião, vamos debater as várias iniciativas a mais da mobilização da categoria para as próximas semanas. Porque a luta continua! Somente na luta poderemos ter vitórias!

Quinta-Feira, 12 de Junho
Nossa Copa é na Rua!



E na quinta, dia 12 de junho, dia da abertura da Copa do Mundo no Brasil, chamamos todos a fazer a nossa Copa na rua! Temos que voltar às ruas, como em junho do ano passado, para mais uma vez levantar nossa voz! No país da Copa, vivemos uma Copa de Injustiças! E a Educação Pública, seus Profissionais e seus alunos/as, fazem parte das principais vítimas! Portanto, vamos levar um forte bloco da Educação para as ruas novamente! A situação de descaso em todo o país se expressa também em Niterói! O Governo, por exemplo, investe 15 milhões em propaganda, e as Escolas/UMEI's estão há quase dois meses sem telefone! Na cidade do IV Salão da Leitura, a maioria das Escolas e UMEI's não têm Bibliotecas, Salas de Leitura e de Informática; a maioria dos alunos/as foram excluídos/as da ida ao Salão e do acesso a "moeda Lobato"; os/as Professores/as Contratados/as foram excluídos/as do "Bônus Leitura" (100 reais) concedido aos Efetivos... Um Copa de Injustiças!

E no IV Salão de Leitura...

E o IV Salão da Leitura não escapou a vários ecos das lutas da Educação. Fizemos panfletagens, levando à população as Pautas pelas quais lutamos. E, num evento que com certeza não estava no "script" do Governo, nossas lutas ecoaram na palestra do Professor Evanildo Bechara. A palestra contava com a presença de vários membros do Governo (Secretária de Educação, Presidente da FME) e centenas de Professores/as da Rede Municipal. Talvez refletindo as mobilizações e pautas das muitas lutas que percorrem o Brasil desde junho de 2013, o Professor Bechara repercutiu em sua fala muitas das questões que afligem o Magistério em Niterói. Foi aplaudido de pé pela categoria, não só pela fala em si, mas também as palmas foram um protesto contra o Governo que ali estava presente, e que não nos ouve, não nos valoriza, não nos prioriza.







- CARTAZ -
A Luta Continua! Mobilizar pela Base!


COMPARTILHE!

sexta-feira, 6 de junho de 2014

Rede Municipal de Niterói - A LUTA CONTINUA - Organizar a luta pela Base - Deliberações da Assembleia de 04-06 // REDE ESTADUAL - A Greve Continua!

Rede Municipal de Niterói

Deliberações da Assembleia de 04 de Junho

- Suspender o Movimento de Paralisações -

- A LUTA, PORÉM, TEM QUE CONTINUAR -
- Organizar a Luta pelas Bases -

No título, em resumo, estão as principais deliberações da Assembleia da Rede Municipal de Niterói, realizada na manhã do dia 04 de Junho, na Escola de Serviço Social da UFF. Tivemos uma Assembleia bastante reflexiva e crítica, muito importante para pensarmos os rumos do movimento.

Só a luta trará vitórias!

Uma avaliação unânime foi sobre a necessidade da GREVE como o caminho para termos grandes vitórias. Como vimos na recente Audiência com o Governo (dia 03 de Junho - ver relato mais abaixo), não teremos conquistas nas nossas Pautas sem uma forte GREVE contra um Governo que não dialoga de verdade e que não quer investir e valorizar devidamente a Educação Pública, seus trabalhadores/as e alunos/as.

Os caminhos para construir uma
forte GREVE!

Se não lutar não tem conquista!

Porém, a avaliação votada pela Assembleia é que, infelizmente talvez, ainda não conseguimos construir a greve que precisamos. Para termos uma forte greve, aquela que irá vencer, é preciso unificar amplamente a categoria nesta luta. E este momento não chegou ainda. Sem a participação e adesão de todos, nosso movimento não pode ser vitorioso.

Todas as conquistas que tivemos até hoje - "cada centavo em nossos contracheques", como disse uma colega na Assembleia - foram frutos das greves! Esse é, e sempre foi, o caminho das vitórias! É preciso nos conscientizarmos, todos, como categoria, que unidos somos fortes!

Muitos/as de nós ainda temos vários medos ou incertezas. Temos que superar isso! Pois se não fizermos crescer a luta - que terá que chegar a greve - não teremos vitórias concretas! Por isso, as resoluções da Assembleia apontam para: não desistir! Continuarmos avançando na nossa organização e mobilização... Assim, todos juntos, chegaremos lá!

Porque a greve não saiu ainda?

Alguns colegas levaram à Assembleia o questionamento: porque não fomos à greve ainda? Foi feita uma discussão sobre possíveis erros ou acertos nos rumos do movimento do início do ano até agora. Foi, e é, uma discussão relevante. Por isso que a participação de todos nas Assembleias é fundamental! É lá que discutimos e decidimos tudo! As avaliações da maioria, ao longo do ano, foi que para termos uma greve com vitórias, a greve tem que ser com TODA a categoria. E essa avaliação se mantém.

Com acertos ou erros, todas as decisões do movimento em 2014 foram tomadas nas Assembleias. O colega que tem opiniões diferentes tem que participar mais! Se não, perdemos riqueza nos debates e decisões, e são menos pessoas decidindo por todas. E quando a maioria na Assembleia decide, todos temos que seguir, porque é assim que se constrói democraticamente e se unifica o movimento. Enfim, na Assembleia de agora, 04 de Junho, a avaliação foi que, apesar de ser necessária, a Greve deflagrada neste momento não seria a decisão mais correta.

A luta continua!
Organizar e mobilizar pelas bases!

Outra decisão importante foi suspender, por hora, o movimento das paralisações. Fomos a fundo nesta forma de luta neste primeiro semestre. E seguir indefinidamente desta maneira não nos trará bons resultados, foi a avaliação. Os descontos, por exemplo, estão pesando muito! O Governo, autoritário, está punindo a categoria por sua luta legítima, contrariando a democracia que dizem que vivemos no país. Contrariando as falas do próprio Governo, que diz que "dialoga", que "governa para o povo".

Recuar no movimento de paralisações, porém, NÃO SIGNIFICA RECUAR NA LUTA GERAL! Tomamos decisões, relatadas mais abaixo, que significam que vamos SEGUIR NO MOVIMENTO de outras maneiras. A orientação é continuar nos mobilizando como categoria e construir a radicalização com todos, pelas bases!

Manter e ampliar a pressão sobre o Governo por nossas Pautas!

O que faremos? Veja a seguir:

- Próxima Assembleia Geral (sem paralisação), para avaliação do movimento, dia 25 de Junho, uma quarta-feira, à noite, 18 horas, na sede do SEPE-Niterói (Av. Amaral Peixoto, 450, Sala 305 - Centro de Niterói).

- Atos e/ou Panfletagens nos Polos da Rede, ou por Escolas, denunciando a situação dos Profissionais da Educação e da Educação Pública Municipal de Niterói, e chamando o apoio da população e comunidades escolares à nossa luta.

- Reunião Específica das Merendeiras, dia 10 de Junho, 15 horas, na sede do SEPE-Niterói (Av. Amaral Peixoto, 450, Sala 305 no Centro de Niteróoi).

- Intervenção na Reunião da Comissão de Educação da Câmara, dia 10 de Junho, 16 horas, na Câmara dos Vereadores.

- Participação nos Atos Nacionais no dia 12 de Junho, início da Copa do Mundo.

- Campanha Política (com Ato) contra os Descontos e repressão à luta da Educação de Niterói em 2014.

- Um novo Jornal "Conselho de Classe" da Rede Municipal de Niterói, discutindo a situação do nosso movimento, nossas Pautas de luta, a necessidade de ampliarmos a mobilização pela base, o histórico das nossas lutas e conquistas, etc.

- Nova Carta da Educação de Niterói as Comunidades Escolares (Pais, Mães, Responsáveis e Alunos) e População em geral.

- Venda da Camisa "Dignidade para Quem Educa" para a categoria usar no dia-a-dia nas Escolas e UMEI's (20 reais preço de custo, 25 ou 30 reais preço solidário para os Fundos da Luta - ver imagem ao lado).

- Reuniões do Sindicato com a Categoria por Escola ou UMEI.

- Campanha pela Eleição de REPRESENTANTES DE ESCOLA OU UMEI para reorganizar o Conselho de Representantes do SEPE-Niterói.

- Campanha de Filiações da categoria ao nosso Sindicato, o SEPE-Niterói.

- Ação na Justiça pela devolução dos descontos das Paralisações de 2014. A Ação está em elaboração e será ajuizada no início de julho (para que possamos pedir a devolução dos descontos que virão em junho).

Assim, vamos acompanhando os calendários que o Comando de Mobilização e a Direção do SEPE-Niterói organizará para dar conta das iniciativas votadas! Acompanhem pelo Blog e pelo Facebook do SEPE-Niterói. Vamos juntos que a luta será forte e vamos vencer!

RELATO DA AUDIÊNCIA COM O GOVERNO DE NITERÓI
- 03 de Junho de 2014 -


A Audiência aconteceu dia 03 de Junho, um dia antes de nossa Paralisação e Assembleia, de manhã na Secretaria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia. Estiveram presentes a secretária municipal de Educação, professora Flávia Monteiro; o presidente da FME, professor José Henrique Antunes; e equipe. E pela categoria: Diogo de Oliveira, Elma Teixeira, Oraide Peixoto, Shirley e Andréa Peçanha. Aliás, é preciso lembrar que só conseguimos esta Audiência com luta, após três manifestações da categoria, incluindo uma intervenção no 6° andar da Prefeitura - Gabinete do Prefeito. Veja os resultados, pouco satisfatórios, da Audiência do dia:

01 - Descontos das Paralisações de 2014: abrimos a Audiência com esta questão, que muito tem afligido a categoria. O SEPE protestou contra esta dura repressão à luta legítima, e legal, dos Profissionais da Educação de Niterói. Além de atacar um direito constitucional - de mobilização e greve -, o Governo ataca o sustento de mães e pais de família, todos nós já muito desvalorizados pelos salários baixos que nos pagam. Também o Governo incorre em injustiça e ilegalidade, descontando os salários sem NENHUMA NEGOCIAÇÃO, tanto das Pautas quanto dos dias parados (como aconteceu em 2013). E o Governo rompe com suas próprias palavras: que era "um Governo diferente, que não desconta da categoria em luta" e que se preocupava com "os dias letivos dos alunos" quando cobrou a reposição da greve em 2013 (a categoria decidiu por não repor - os dias letivos são obrigação do Governo que nos levou à greve -, porém ao menos houve negociações sobre os dias parados da greve de 2013, que não terminaram em acordo, mas houve negociações!). O discurso do Governo de "preocupação com o calendário letivo" e "preocupação com o pedagógico", pois se há desconto, NÃO HÁ REPOSIÇÃO (e já foram mais de 15 dias de paralisações, impactando o calendário letivo). O SEPE exigiu: devolução de todas os descontos, suspensão dos descontos que virão (em julho, das paralisações de maio) e estabelecimento de negociações sobre os dias parados. Além de tudo, os descontos desrespeitam a lei municipal, excedendo os 10% dos salários (principalmente para quem fez e está sendo descontado da greve de 2013). A resposta do Governo: que sim, o Governo estava endurecendo na relação com o movimento da categoria "porque a categoria também endureceu, fazendo várias paralisações". Que o Governo estudará as exigências do SEPE, porém sem compromisso prévio de atendê-las. Mesmo limitar os descontos a 10% dos salários (o que teria que passar, primeiro, pelas devoluções integrais) não há compromisso. O único compromisso firmado foi marcar uma Audiência específica para tratar do assunto.

02 - Problemas de autoritarismo nas Escolas: O SEPE apresentou vários problemas de falta de democracia, assédio moral e/ou autoritarismo nas Escolas ou UMEI's, infelizmente por parte de algumas Direções contra Profissionais da Educação das bases. Foi feita uma longa discussão sobre o assunto. O SEPE apresentou as reivindicações: que o Governo construa junto com o Sindicato a "Comissão da Verdade e Anistia da Rede Municipal de Niterói" e um Seminário sobre Gestão Democrática na Rede; que sejam suspensas as devoluções ex officio, ou que no mínimo seja obrigatória a informação ao Sindicato sobre todas as devoluções, para averiguações. O Governo apenas se comprometeu em marcar duas reuniões com o SEPE para tratar das "otimizações" de turmas e do problema específico que está sendo vivido na Escola Municipal Altivo Cesar.

03 - Pauta Salarial: O SEPE reapresentou, mais uma vez, a Pauta Salarial da categoria - incorporação dos Adicionais Transitórios (incluindo os Aposentados), data-base com aumento real de 20%, reajuste dos auxílios alimentação e transporte e garantia do pagamento do Salário Família a quem tem direito. As respostas do Governo: a única garantia até o momento seria o IPCA (inflação oficial) na data-base (junho a pagar a partir de julho) - o índice está em cálculo e deverá ser divulgado até a segunda semana de junho; sobre os Adicionais Transitórios, a FME e SMECT estão defendendo a incorporação pelo menos da parcela de 2014, porém o Executivo (Prefeito) não se posicionou até o momento - o Governo comentou que "o alto custo dos Aposentados dificulta o processo". Sobre o restante da Pauta, em especial os 20%, o Governo afirmou que poderá prosseguir negociando, sem compromissos porém. E comentou que "20% geraria um alto custo ao Município". Sobre o Salário-Família, afirmou-se que o mesmo será pago agora em junho, com retroativos.

04 - Aposentados: Sobre o pagamento correto e para todos dos Enquadramentos por Formação novos (pós revisão do PCCS em 2013), incluindo os retroativos dos atrasados. Há a promessa de se pagar os novos enquadramentos para todos já em junho agora, porém os retroativos dos atrasados continuam sem garantias.

05 - Duplas Regências e RET's: O SEPE abriu este ponto afirmando que a circula na Rede a informação que o Governo estaria cortando os pagamentos de direitos das DR's e RET's, como os recessos, 1/3 de férias, etc. E concretamente, os recessos do Carnaval e da Páscoa não foram pagos! O Governo responder que a orientação não é esta, ou seja, afirmou que todos os direitos por nós conquistados continuarão sendo pagos. Sobre os atrasos dos recessos de Carnaval e Páscoa, se comprometeu a resolver o problema, seja ele qual for, e pagar. O SEPE apresentou também a reivindicação de se garantir licença médica na Dupla. O Governo se comprometeu a estudar a proposta, vendo se não há impedimento legal.

06 - 30 Horas: Permanece a posição do Governo CONTRÁRIA as 30 horas para os Funcionários da Educação. O SEPE, porém, derrubou a alegação que a medida "não pode ser tomada só para a Educação, teria que ser para todos os servidores do Município". Comprovamos que já existem servidores em outros setores do Governo que trabalham 30 horas semanais, ou 32 horas e meia. E o SEPE apresentou três maneiras de flexibilizar as negociações para que se garantam as 30 horas: 01 - Redução paulatina para todos, com primeira leva reduzindo para 35 horas semanais; 02 - Redução paulatina para todos, com primeira leva reduzindo para 32 horas e meia; 03 - Redução para 30 horas primeiro para o setor de Merendeiras - e progressivamente para todos os Funcionários. O Governo não se posicionou, mas ficou de "continuar estudando" a reivindicação das 30 horas.

07 - 1/3 de Planejamento: O Governo nos disse, nesse ponto, que o assunto está em debate na Comissão de Regulamentação do PCCS, e tal debate prossegue ainda sem resolução em definitivo. Lembramos que na última reunião da Comissão ficou claro à categoria que a posição do Governo se mantém com a hora-relógio, integralização e aumento de carga horária para os Professores II (a nova "proposta" é 10 e 14 tempos de 60 MINUTOS com mudança profunda na grade curricular dos 3° e 4° ciclos) e contrária à proposta da categoria (10 ou 14 tempos de 45 MINUTOS). E se mantém o descaso para garantir a efetividade do 1/3 de Planejamento nos 1° e 2° Ciclos, na Educação Infantil e para os Pedagogos.

08 - Pedagogos: O SEPE apresentou uma das principais reivindicações dos Pedagogos da Rede - a revisão das modulações de trabalho. O Governo concordou que a revisão é necessária, mas não fechou nenhum compromisso de qual modulação seria, espaço para negociação do assunto e prazo de atendimento da reivindicação.

09 - Modulação de Trabalho de Merendeiras e Auxiliares de Serviços Gerais: O SEPE cobrou que o Governo encaminhe a discussão da revisão da modulação de trabalho das Merendeiras e Auxiliares de Serviços Gerais da Rede. O Governo havia se comprometido, em abril, a encaminhar tal negociação. Agora, o Governo retomou o compromisso, mas a Audiência terminou sem marcar uma negociação específica. E não foi apresentada nenhuma proposta concreta do Governo sobre o assunto.

10 - Migração para Professor I 40 Horas: O SEPE cobrou o empenho e compromisso do Governo em garantir o processo. Embora não se tenha fechado ainda os critérios do processo na Comissão do PCCS, questões fundamentais têm que ser garantidas - orçamento e correção de distorções que existem no PCCS sobre este assunto. A defesa do SEPE é que a migração seja feita para todos/as que quiserem, porém que, sendo necessário, se priorize começar na Educação Infantil, em especial com os/as colegas que trabalham em Dupla Regência. O Governo não firmou compromisso sobre o que colocamos - a garantia de orçamento e correções no PCCS para se garantir a migração em 2013 (ela tem que ser feita antes do próximo Concurso Público).

11 - Professores Contratados: O SEPE começou a apresentar pautas em defesa deste setor da categoria, extremamente precário e explorado. Reivindicamos primeiro que o Governo pague auxílio-transporte aos Professores Contratados. Que se defina de maneira clara, e que se faça cumprir, as atribuições de trabalho dos Contratados, em especial das Professores de Apoio aos Alunos NEE's. Professor Contratado não pode ser tratado como "faz tudo" nas Escolas e UMEI's. O Governo ficou de estudar a proposta do auxílio-transporte, porém sem compromisso prévio. A discussão das atribuições também deve seguir.

12 - Saúde do Trabalhador: Defendemos primeiro mais investimentos, reestruturação e melhorias no IBASM. O Governo alegou que "estudará a proposta", mas que "mexer no IBASM" é "muito complexo e custoso". Assim, defendemos, conforme a categoria tem cobrado, que, sem abrir mão do IBASM, o Governo faça como outras Prefeituras fazem - oferecer convênios com Planos de Saúde com preços diferenciados. O Governo ficou, também, de "estudar" esta proposta.

13 - Outras Pautas não-discutidas: Em função do horário, a Audiência teve que ser encerrada sem discutir as seguintes Pautas da categoria - Adicional de Insalubridade para todos os Funcionários; Mudança de Nomenclatura de Merendeiras para Cozinheiras; 1/3 de Planejamento para Duplas e Contratados; Política de dignidade para o trabalho dos Profissionais Readaptados; Políticas de Leitura e Educação Integral na Rede.

14 - Anúncios do Governo: Fruto das reivindicações e lutas da categoria, o Governo anunciou na Audiência o investimento de 10 milhões de reais em licitações (em breve) para equipamentos e obras para avançar no processo de climatização das Unidades Escolares. E também o investimento na melhoria dos equipamentos de trabalho nas Cozinhas das Escolas e UMEI's - compra de lava-louças, coifas, e outros materiais. São avanços, ainda pequenos, mas resultado da luta da categoria. Portanto, a luta continua, por muito mais!

E NO IV SALÃO DA LEITURA...

E no mesmo dia da nossa Assembleia, 04 de Junho, a FME suspendeu as aulas na Rede para a categoria "participar do IV Salão da Leitura". O Governo não podia esperar, mas teve que sentir ecos da luta da categoria no seu grande evento. Em uma palestra lotada de Professores da Rede e com presença de pessoas-chave do Governo (a secretária de Educação e o Presidente da FME, por exemplo), o professor Evanildo Bechara (o palestrante) repercutiu as lutas da educação! Falou das péssimas condições de trabalho, dos baixos salários, da falta de tempo para planejar... FOI APLAUDIDO DE PÉ PELA CATEGORIA! Aplausos não só de concordância com o que foi falado, mas também de protesto contra o Governo. Ficou mais uma vez provado, perante o Governo, de que lado a categoria está da luta.



E A LUTA CONTINUA!

______________________________________________________________

- Rede Estadual e Municipal do Rio -

A GREVE CONTINUA!

Foi a decisão por ampla maioria na Assembleia Unificada de 05 de Junho. Confira e acompanhe no site do SEPE-RJ o calendário da mobilização e as possíveis negociações com o Governo

A LUTA CONTINUA!

ATO UNIFICADO DA EDUCAÇÃO
- NEGOCIAÇÕES JÁ -
Terça-Feira, 09 de Junho, 10 horas, na Candelária


- Próxima Assembleia Unificada -



terça-feira, 3 de junho de 2014

Rede Municipal de Niterói - TODOS E TODAS NA ASSEMBLEIA!


Rede Municipal de Niterói


- Quarta, 04 de Junho, 8:30 -

TODOS E TODAS NA ASSEMBLEIA

- O dia 04 de Junho, nesta quarta-feira, foi convocado, pela última Assembleia da categoria, como Paralisação de 24 horas. Porém logo em seguida a FME liberou as aulas deste dia na Rede por causa do IV Salão da Leitura (prometendo inclusive um abono de 100 reais a quem participar, a ser pago em julho);

- É possível e necessário conciliar as atividades da luta da categoria com a ida ao IV Salão da Leitura! Estamos num momento muito importante da luta deste ano, da nossa Campanha Salarial, das Pautas dos Funcionários, etc.;

- A Assembleia será na parte da manhã, a partir de 8:30. A Pauta é importante, o indicativo de GREVE! Todos têm que participar do debate e decisão;

- Ainda na parte de manhã haverá ATO DE RUA para darmos visibilidade às Pautas junto à cidade e Paralisação e pressionar o Governo. E encerradas as atividades, os/as colegas que quiserem, poderão ir ao IV Salão da Leitura sem nenhum prejuízo!

PARTICIPE!
SOMENTE UNIDOS E NA LUTA TEREMOS VITÓRIAS!
TODOS E TODAS NA ASSEMBLEIA!

PS: A Assembleia será na Escola de Serviço Social da UFF (Bloco E, Campus do Gragoatá - próximo ao Centro de Niterói).


TODOS E TODAS NA ASSEMBLEIA!