segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Rede Municipal de Niterói - Falta pouco para o Seminário de Educação do SEPE-Niterói - FAÇA SUA INSCRIÇÃO ONLINE!

ATENÇÃO CATEGORIA!
Falta pouco para o Seminário de Educação do SEPE-Niterói!

FAÇA SUA INSCRIÇÃO ONLINE!


__________________________________________________________________________

SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO
DO SEPE-NITERÓI

"Projetos Político-Pedagógicos, Currículos e Gestão Democrática das Escolas e UMEI's e da Rede Municipal de Educação de Niterói"
- Pensando um Projeto dos Trabalhadores -

Data e local: O Seminário acontecerá no dia 22 de outubro, uma quarta-feira, a partir das 7:30 da manhã até as 17:30 da tarde, no Auditório da Fac. de Economia da UFF (Bloco F, campus do Gragoatá - próximo a Fac. de Educação da UFF).

Abono de Ponto: A FME já autorizou abono de ponto para participação no Seminário, porém apenas para um Profissional por Escola, UMEI e Biblioteca. O SEPE-Niterói continua reivindicando que sejam ampliados os abonos. Assim, cada Escola, UMEI e Biblioteca já devem discutir e apontar um/a colega para participação no Seminário. Por outro lado, todos/as que quiserem participar podem e devem se inscrever (ver abaixo), pois o número de interessados pode ajudar a conseguirmos mais abonos de ponto.

Inscrições: As inscrições podem ser feitas junto aos dirigentes do SEPE-Niterói, que estão visitando as Escolas, UMEI's e Bibliotecas; na sede do Sindicato; ou online, preenchendo a Ficha de Inscrição neste link: http://goo.gl/forms/RqZ78SJ88O

Programação:
- 7:30 = Café-da-manhã;
- 8:30 = Mesa de Educação;
- 11:00 = Mesa sobre Gestão Democrática;
- 13:00 = Almoço;
- 14:30 = Grupos de Trabalho temáticos;
- 16:30 = Plenária Final.

Mesa de Educação: o objetivo da Mesa de Educação do Seminário é dar conta dos desafios político-pedagógicos para a Educação do Brasil e de Niterói atualmente. Para tanto, teremos múltiplas temáticas sendo abordadas. Primeiro, iremos refletir sobre o novo Plano Nacional de Educação (PNE), o que ele é, o que representa, seus problemas e desafios, o impacto sobre a educação pública brasileira. Segundo, os debates sobre o que foram os projetos político-pedagógicos recentemente desenvolvidos em Niterói e os novos projetos que estão sendo gestados. Terceiro, a discussão sobre os conceitos e desafios da ideia de educação integral, um dos principais projetos que se vislumbram em todo o país e também em Niterói. Quarto, as teorias, práticas e as políticas sobre a Educação Infantil no Brasil e em Niterói, assim como os desafios da Educação de Jovens e Adultos.

Colaboradores da Mesa de Educação:

"A Proletarização do
Professor"
Gilberto Souza = debate sobre o novo PNE = Gilberto é professor da Rede Estadual de São Paulo, ativista do Setorial de Educação da CSP-Conlutas e organizador do livro "A Proletarização do Professor - Neoliberalismo na Educação" (veja ao lado).

Carla Andréa Silva = debate sobre a educação infantil = Carla Andréa é pedagoga da UMEI Rosalina Araujo Costa, da Rede Municipal de Niterói, e mestra em Educação pela UFRJ.

Marta Maia = debate sobre os projetos da Rede Municipal = Marta é professora da Rede Municipal de Niterói, mestra e agora doutoranda em Educação da PUC-Rio, sob orientação da professora Sônia Kramer.

"Escola Pública e Pobreza
no Brasil"
Eveline Algebaile = debate sobre educação integral = Eveline é professora da Faculdade de Formação de Professores da UERJ, doutora em Educação pela UFF e autora do importante livro "Escola Pública e Pobreza no Brasil" (veja ao lado).

Bruno Miranda Neves = debate sobre educação integral e EJA = Bruno é professor da EJA em Nova Iguaçu e do Colégio de Aplicação da UERJ e mestre em Educação pela UERJ.

Mesa sobre Gestão Democrática: o objetivo desta Mesa é aprofundarmos a discussão sobre o que é, afinal, a gestão democrática da escola pública? Porque ela é tão importante? Como ela pode acontecer na prática? Consideramos tal discussão de grande importância, pela convicção em que afirmamos: é impossível pensar um projeto de educação crítico, diferente, transformador, sem democracia na escola!

Colaboradores da Mesa sobre Gestão Democrática:

Florinda Lombardi na ocupação da Prefeitura do Rio em 1989
na luta pelas eleições diretas das direções de escolas.
Florinda Lombardi = Florinda é professora aposentada da Rede Estadual, dirigente histórica do SEPE-RJ, e reconhecida ativista da luta pela gestão democrática na escola pública, tendo sido uma das lideranças da luta pelas eleições diretas para as direções de escolas da Rede Estadual nos anos 80, que foi conquistada pela categoria e permitiu importantes experiências de gestão democrática na prática, experiências estas que têm de ser conhecidas.

Paulo Sgarbi = Paulo é professor da Faculdade de Educação da UERJ (Rio), doutor em Educação pela UERJ, atua principalmente em estudos sobre o cotidiano escolar, avaliação da aprendizagem, currículo, imagem, cotidiano e formação de professores, apoiou a greve da educação de Niterói em 2013 e participou do II Encontro sobre o PCCS que ocorreu durante aquela greve na Escola Municipal Paulo Freire.

SOBRE O SEMINÁRIO - A IMPORTÂNCIA!

Recentemente a FME enviou para as Escolas e UMEI's da Rede Municipal de Niterói um documento intitulado "A Escola que queremos - repensando a organização pedagógica da Rede Municipal de Educação de Niterói". Pouco antes, em junho, o governo federal aprovava o novo Plano Nacional de Educação (PNE), com vigência de 2014 a 2024. Em todo o país estão sendo tocados discussões governamentais e medidas de reestruturação das redes públicas de educação, e como o novo PNE este processo tende a se acelerar. As novidades intentadas pelos governos afetarão profundamente as condições de trabalho de nós, profissionais da educação, e o direito à educação de qualidade socialmente referenciada das crianças, jovens e adultos brasileiros.

O que está em curso é uma disputa de projetos de educação pública, e a tendência é excluir a voz ativa e independente dos trabalhadores da educação, impondo projetos de cima para baixo. A tendência é que em Niterói também se faça assim. Não foi assim que aconteceu em outros momentos, mais de uma vez? A categoria debatia os projetos de educação, fazia propostas, e os governos engavetavam tudo e impunham outra coisa? Ao enviar o documento referido acima, a FME solicitou que a categoria discutisse o mesmo nas escolas um novo Projeto de Educação para a Rede. O debate não animou muito. Há uma descrença de que as opiniões da categoria serão realmente consideradas. O cotidiano massacrante do trabalho, por outro lado, não favorece um bom debate político-pedagógico.

Seguindo deliberação da Assembleia Geral da categoria de 17 de setembro, desta vez queremos que seja diferente! O SEPE-Niterói convoca a categoria a se organizar! Temos que tomar os debates político-pedagógicos em nossas mãos e lutar por um projeto nosso, dos trabalhadores! É com esse objetivo que convocamos o Seminário de Educação do SEPE-Niterói, com o tema "Projetos Político-Pedagógicos, Currículos e Gestão Democrática das Escolas e UMEI's e da Rede Municipal de Educação de Niterói - Pensando um Projeto dos Trabalhadores". Não podemos aceitar que o projeto de educação da nossa escola pública seja feito apenas pelo governo! Temos que nos organizar para fazer o nosso projeto e o impor ao governo - um projeto verdadeiramente dos trabalhadores! Nossa referência é que a construção da escola pública de qualidade será uma obra coletiva, dos trabalhadores, ou não será. Mãos à obra!


sábado, 18 de outubro de 2014

Rede Municipal de Niterói - Merendeira dirigente do SEPE é impedida de participar de evento da FME do Dia da Merendeira!

No Dia da/o Merendeira/o,
merendeira dirigente do SEPE-Niterói é
impedida de participar da Festa da FME!

Relato de Oraide Peixoto
Merendeira da Rede Municipal e Dirigente do SEPE-Niterói

Olá merendeiras de Niterói. 

Dia 16 de outubro comemorou-se o Dia da Merendeira.

Será que temos o que comemorar?
 
No dia 9 de setembro foi publicado o primeiro Concurso de Alimentação Escolar da Rede Municipal de Niterói. Segundo a publicação, "o evento tem como objetivo reconhecer, divulgar e estimular o importante trabalho desenvolvido pelos Merendeiros Escolares e Nutricionistas nas Unidades Municipais de Educação de Niterói (...)". Entretanto encontramos no texto diversas indicações que contradizem estes objetivos, como "a inscrição será em nome da Unidade Escolar (...) Assim, os Merendeiros serão identificados pela Unidade Escolar em que atuam".

Como podemos observar, bonificações, competições, metas, chegaram às cozinhas da Rede Municipal de Niterói. Muitos se recusaram a participar, mas como o Edital dizia: "O servidor que não estiver inscrito deverá auxiliar seus colegas participantes na confecção do prato, nas atividades pertinentes ao seu serviço", indicando a NÃO OPÇÃO À PARTICIPAÇÃO NO "Concurso".

Depois de identificar, mais uma vez , a dificuldade das informações chegarem às cozinhas das Escolas e UMEI's, como horário e local do evento, decidi participar do evento. E qual não foi minha surpresa ao ser informada pelo Departamento de Projetos Especiais que eu NÃO poderia participar. Na conversa por telefone com o responsável da Diretoria de Projetos Especiais, ouvi que por não estar em Unidade Escolar, não estaria convidada. Lembrando que desde junho deste ano (2014) estou em licença sindical para atuação no SEPE-Niterói, representando, organizando e defendendo a categoria. Perguntei, então, se as merendeiras da Cozinha Experimental da FME não seriam convidadas, por não estarem em unidade escolar. O rapaz então informou que elas haviam recebido os convites (alívio). E disse que na relação de merendeiras/os da Rede, meu nome constava como em trânsito, portanto não havia para onde enviar o convite. Encerrei a ligação informando que compareceria ao evento, posto que SOU MERENDEIRA DA REDE.

Gostaria de destacar no edital se diz: "Serão selecionados os três pratos que receberam a melhor pontuação e o resultado será divulgado no dia 16 de outubro, na festa em comemoração ao Dia dos Merendeiros e ao Dia da Alimentação Escolar, com a entrega das premiações". Ou seja, o evento do dia 16 de outubro não se limitava ao concurso, e sim a todas/os as/os merendeiras/os da Rede.

No dia, às 17 horas, compareci ao local da Festa. Aguardei que a fila terminasse e me dirigi à mesa de entrada, onde havia rosas que eram entregues às/aos merendeiras/os e à representantes da FME que lá chegavam. Na mesa estava uma senhora, à qual informei que não tinha convite, por estar em licença sindical pelo SEPE-Niterói. Ela respondeu que sem convite não poderia entrar. Voltei a insistir que era Merendeira da Rede, já que na mesa havia uma listagem. Ela então voltou a dizer que eu não poderia entrar. Insisti dizendo que era Merendeira da Rede há 10 anos e que, aliás, em função das condições de trabalho a que todas somos submetidas, adoeci, como centenas de colegas. E ela respondeu que era professora há 28 anos, Outra responsável se aproximou e disse que falaria com a diretora de Projetos Especiais , que de longe observava. Veio outra negação. Ela então finalizou dizendo que era orientação da própria diretora.

Decidi então me retirar, e refletir sobre qual era realmente o propósito daquele evento. Premiar? Não. Para isso deveria ser dado à todos o direito de participar, o que não ocorreu, já que a informação em algumas escolas chegou depois de encerrada as inscrições. Reconhecer o trabalho das merendeiras? Não, já que TODAS/OS merecemos reconhecimento do importante trabalho que realizamos, muitas vezes em condições adversas como falta de pessoal, sobrecarga de trabalho, utensílios impróprios, etc.

O impedimento da minha entrada representa todas as barreiras impostas à nós, Merendeiras da Rede Municipal de Niterói. Continuamos sendo tratadas como platéia, e não como importante integrante no processo de aprendizagem dos alunos, do desenvolvimento da educação no conjunto da Rede.


PS: Relembrando que o Dia da/o Merendeira/o parece não estar a altura de merecer um recesso escolar. A maioria de nós comemorou nosso dia... Trabalhando!

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

SEPE-Niterói - Nesta sexta, reunião do GT de Políticas Educacionais / Homenagem ao dia dos-as Professore-as e das-os Merendeiras-os

ATENÇÃO CATEGORIA!


Segunda Reunião do GT de Políticas Educacionais do SEPE-Niterói
Nesta sexta-feira, 17 de outubro, às 18:30
Na sede do SEPE-Niterói.

Nesta reunião nos dedicaremos ao estudo do documento elaborado pela FME sobre a revisão do projeto político-pedagógico da Rede, "A Escola que queremos - repensando a organização pedagógica da Rede Municipal de Educação de Niterói". Com o objetivo de análise e crítica, para dar base às elaborações alternativas nossas, dos trabalhadores/as da educação. Participe!

O GT: O SEPE-Niterói lançou o Grupo de Trabalho de Políticas Educacionais (GTPE) com o objetivo de debater e aprofundar, permanentemente, as ideias sobre educação, para dar conta de um projeto alternativo a ser construído por nós, trabalhadores. Para subsidiar as discussões político-pedagógicas que fazemos.
________________________________________________________

Homenagem aos Profissionais da Educação

15 de outubro - Dia do-a Professora-a
16 de outubro - Dia da-o Merendeira-o


O SEPE-Niterói parabeniza a todos os Profissionais da Educação por duas datas tão importantes: o 15 de outubro, dia do-a Professor-a. E 16 de outubro, dia da-o Merendeira-o, menos lembrado, mais tão importante quanto!

Reafirmamos o compromisso do SEPE, do seu, do nosso Sindicato, com a organização e a mobilização da luta que é de toda a categoria, de todo educador: a intransigente defesa da educação pública, gratuita, de qualidade socialmente referenciada, laica e à serviço dos trabalhadores. Parabéns a todos que seguem nesta luta! Citando Paulo Freire: "Ser educador e não lutar é uma contradição pedagógica". Vamos juntos!
________________________________________________________

E VEM AÍ!
SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO
DO SEPE-NITERÓI

"Projetos Político-Pedagógicos, Currículos e Gestão Democrática das Escolas e UMEI's e da Rede Municipal de Educação de Niterói"
- Pensando um Projeto dos Trabalhadores -

Veja abaixo:
Cartaz do Seminário / Informações / Importância do Seminário


SOBRE O SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO - INFORMAÇÕES!

Data e local: O Seminário acontecerá no dia 22 de outubro, uma quarta-feira, a partir das 7:30 da manhã até as 17:30 da tarde, no Auditório da Fac. de Economia da UFF (Bloco F, campus do Gragoatá - próximo a Fac. de Educação da UFF).

Abono de Ponto: A FME já autorizou abono de ponto para participação no Seminário, porém apenas para um Profissional por Escola, UMEI e Biblioteca. O SEPE-Niterói continua reivindicando que sejam ampliados os abonos. Assim, cada Escola, UMEI e Biblioteca já devem discutir e apontar um/a colega para participação no Seminário. Por outro lado, todos/as que quiserem participar podem e devem se inscrever (ver abaixo), pois o número de interessados pode ajudar a conseguirmos mais abonos de ponto.

Inscrições: As inscrições podem ser feitas junto aos dirigentes do SEPE-Niterói, que estão visitando as Escolas, UMEI's e Bibliotecas; na sede do Sindicato; ou online, preenchendo a Ficha de Inscrição neste link: http://goo.gl/forms/RqZ78SJ88O

Programação:
- 7:30 = Café-da-manhã;
- 8:30 = Mesa de Educação;
- 11:00 = Mesa sobre Gestão Democrática;
- 13:00 = Almoço;
- 14:30 = Grupos de Trabalho temáticos;
- 16:30 = Plenária Final.

Mesa de Educação: o objetivo da Mesa de Educação do Seminário é dar conta dos desafios político-pedagógicos para a Educação do Brasil e de Niterói atualmente. Para tanto, teremos múltiplas temáticas sendo abordadas. Primeiro, iremos refletir sobre o novo Plano Nacional de Educação (PNE), o que ele é, o que representa, seus problemas e desafios, o impacto sobre a educação pública brasileira. Segundo, os debates sobre o que foram os projetos político-pedagógicos recentemente desenvolvidos em Niterói e os novos projetos que estão sendo gestados. Terceiro, a discussão sobre os conceitos e desafios da ideia de educação integral, um dos principais projetos que se vislumbram em todo o país e também em Niterói. Quarto, as teorias, práticas e as políticas sobre a Educação Infantil no Brasil e em Niterói, assim como os desafios da Educação de Jovens e Adultos.

Colaboradores da Mesa de Educação:

"A Proletarização do
Professor"
Gilberto Souza = debate sobre o novo PNE = Gilberto é professor da Rede Estadual de São Paulo, ativista do Setorial de Educação da CSP-Conlutas e organizador do livro "A Proletarização do Professor - Neoliberalismo na Educação" (veja ao lado).

Carla Andréa Silva = debate sobre a educação infantil = Carla Andréa é pedagoga da UMEI Rosalina Araujo Costa, da Rede Municipal de Niterói, e mestra em Educação pela UFRJ.

Marta Maia = debate sobre os projetos da Rede Municipal = Marta é professora da Rede Municipal de Niterói, mestra e agora doutoranda em Educação da PUC-Rio, sob orientação da professora Sônia Kramer.

"Escola Pública e Pobreza
no Brasil"
Eveline Algebaile = debate sobre educação integral = Eveline é professora da Faculdade de Formação de Professores da UERJ, doutora em Educação pela UFF e autora do importante livro "Escola Pública e Pobreza no Brasil" (veja ao lado).

Bruno Miranda Neves = debate sobre educação integral e EJA = Bruno é professor da EJA em Nova Iguaçu e do Colégio de Aplicação da UERJ e mestre em Educação pela UERJ.

Mesa sobre Gestão Democrática: o objetivo desta Mesa é aprofundarmos a discussão sobre o que é, afinal, a gestão democrática da escola pública? Porque ela é tão importante? Como ela pode acontecer na prática? Consideramos tal discussão de grande importância, pela convicção em que afirmamos: é impossível pensar um projeto de educação crítico, diferente, transformador, sem democracia na escola!

Colaboradores da Mesa sobre Gestão Democrática:

Florinda Lombardi na ocupação da Prefeitura do Rio em 1989
na luta pelas eleições diretas das direções de escolas.
Florinda Lombardi = Florinda é professora aposentada da Rede Estadual, dirigente histórica do SEPE-RJ, e reconhecida ativista da luta pela gestão democrática na escola pública, tendo sido uma das lideranças da luta pelas eleições diretas para as direções de escolas da Rede Estadual nos anos 80, que foi conquistada pela categoria e permitiu importantes experiências de gestão democrática na prática, experiências estas que têm de ser conhecidas.

Paulo Sgarbi = Paulo é professor da Faculdade de Educação da UERJ (Rio), doutor em Educação pela UERJ, atua principalmente em estudos sobre o cotidiano escolar, avaliação da aprendizagem, currículo, imagem, cotidiano e formação de professores, apoiou a greve da educação de Niterói em 2013 e participou do II Encontro sobre o PCCS que ocorreu durante aquela greve na Escola Municipal Paulo Freire.

SOBRE O SEMINÁRIO - A IMPORTÂNCIA!

Recentemente a FME enviou para as Escolas e UMEI's da Rede Municipal de Niterói um documento intitulado "A Escola que queremos - repensando a organização pedagógica da Rede Municipal de Educação de Niterói". Pouco antes, em junho, o governo federal aprovava o novo Plano Nacional de Educação (PNE), com vigência de 2014 a 2024. Em todo o país estão sendo tocados discussões governamentais e medidas de reestruturação das redes públicas de educação, e como o novo PNE este processo tende a se acelerar. As novidades intentadas pelos governos afetarão profundamente as condições de trabalho de nós, profissionais da educação, e o direito à educação de qualidade socialmente referenciada das crianças, jovens e adultos brasileiros.

O que está em curso é uma disputa de projetos de educação pública, e a tendência é excluir a voz ativa e independente dos trabalhadores da educação, impondo projetos de cima para baixo. A tendência é que em Niterói também se faça assim. Não foi assim que aconteceu em outros momentos, mais de uma vez? A categoria debatia os projetos de educação, fazia propostas, e os governos engavetavam tudo e impunham outra coisa? Ao enviar o documento referido acima, a FME solicitou que a categoria discutisse o mesmo nas escolas um novo Projeto de Educação para a Rede. O debate não animou muito. Há uma descrença de que as opiniões da categoria serão realmente consideradas. O cotidiano massacrante do trabalho, por outro lado, não favorece um bom debate político-pedagógico.

Seguindo deliberação da Assembleia Geral da categoria de 17 de setembro, desta vez queremos que seja diferente! O SEPE-Niterói convoca a categoria a se organizar! Temos que tomar os debates político-pedagógicos em nossas mãos e lutar por um projeto nosso, dos trabalhadores! É com esse objetivo que convocamos o Seminário de Educação do SEPE-Niterói, com o tema "Projetos Político-Pedagógicos, Currículos e Gestão Democrática das Escolas e UMEI's e da Rede Municipal de Educação de Niterói - Pensando um Projeto dos Trabalhadores". Não podemos aceitar que o projeto de educação da nossa escola pública seja feito apenas pelo governo! Temos que nos organizar para fazer o nosso projeto e o impor ao governo - um projeto verdadeiramente dos trabalhadores! Nossa referência é que a construção da escola pública de qualidade será uma obra coletiva, dos trabalhadores, ou não será. Mãos à obra!

GT DE POLÍTICAS EDUCACIONAIS
DO SEPE-NITERÓI

E para subsidiar as discussões político-pedagógicas por nós, profissionais da educação, o SEPE-Niterói lançou o Grupo de Trabalho de Políticas Educacionais (GTPE). O objetivo é debater e aprofundar, permanentemente, as ideias sobre a educação, para dar conta de um projeto alternativo a ser construído por nós, trabalhadores.

A primeira reunião do GTPE aconteceu dia 08 de outubro e contou com a apresentação do trabalho de mestrado de Jonas Magalhães, ex-pedagogo da Rede Municipal de Niterói, atualmente pedagogo da Faculdade de Educação da UFF e dirigente do SEPE-Niterói. Jonas desenvolveu um importantíssimo trabalho de pesquisa sobre os saberes docentes das professoras alfabetizadoras da Rede Municipal do Rio de Janeiro.

A próxima reunião do GTPE será dia 17 de outubro, próxima sexta-feira, as 18:30 na sede do SEPE-Niterói. Nesta reunião nos dedicaremos ao estudo do documento elaborado pela FME sobre a revisão do projeto político-pedagógico da Rede, "A Escola que queremos - repensando a organização pedagógica da Rede Municipal de Educação de Niterói". Em breve disponibilizaremos tal documento para download.

PARTICIPE DO SEMINÁRIO!
E DO GTPE DO SEPE-NITERÓI!

domingo, 12 de outubro de 2014

Rede Municipal de Niterói - Vem aí o Seminário de Educação do SEPE-Niterói

ATENÇÃO CATEGORIA - VEM AÍ...a


SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO
DO SEPE-NITERÓI

"Projetos Político-Pedagógicos, Currículos e Gestão Democrática das Escolas e UMEI's e da Rede Municipal de Educação de Niterói"
- Pensando um Projeto dos Trabalhadores -

Veja abaixo:
Cartaz do Seminário / Informações / Importância do Seminário


SOBRE O SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO - INFORMAÇÕES!

Data e local: O Seminário acontecerá no dia 22 de outubro, uma quarta-feira, a partir das 7:30 da manhã até as 17:30 da tarde, no Auditório da Fac. de Economia da UFF (Bloco F, campus do Gragoatá - próximo a Fac. de Educação da UFF).

Abono de Ponto: A FME já autorizou abono de ponto para participação no Seminário, porém apenas para um Profissional por Escola, UMEI e Biblioteca. O SEPE-Niterói continua reivindicando que sejam ampliados os abonos. Assim, cada Escola, UMEI e Biblioteca já devem discutir e apontar um/a colega para participação no Seminário. Por outro lado, todos/as que quiserem participar podem e devem se inscrever (ver abaixo), pois o número de interessados pode ajudar a conseguirmos mais abonos de ponto.

Inscrições: As inscrições podem ser feitas junto aos dirigentes do SEPE-Niterói, que estão visitando as Escolas, UMEI's e Bibliotecas; na sede do Sindicato; ou online, preenchendo a Ficha de Inscrição neste link: http://goo.gl/forms/RqZ78SJ88O

Programação:
- 7:30 = Café-da-manhã;
- 8:30 = Mesa de Educação;
- 11:00 = Mesa sobre Gestão Democrática;
- 13:00 = Almoço;
- 14:30 = Grupos de Trabalho temáticos;
- 16:30 = Plenária Final.

Mesa de Educação: o objetivo da Mesa de Educação do Seminário é dar conta dos desafios político-pedagógicos para a Educação do Brasil e de Niterói atualmente. Para tanto, teremos múltiplas temáticas sendo abordadas. Primeiro, iremos refletir sobre o novo Plano Nacional de Educação (PNE), o que ele é, o que representa, seus problemas e desafios, o impacto sobre a educação pública brasileira. Segundo, os debates sobre o que foram os projetos político-pedagógicos recentemente desenvolvidos em Niterói e os novos projetos que estão sendo gestados. Terceiro, a discussão sobre os conceitos e desafios da ideia de educação integral, um dos principais projetos que se vislumbram em todo o país e também em Niterói. Quarto, as teorias, práticas e as políticas sobre a Educação Infantil no Brasil e em Niterói, assim como os desafios da Educação de Jovens e Adultos.

Colaboradores da Mesa de Educação:

"A Proletarização do
Professor"
Gilberto Souza = debate sobre o novo PNE = Gilberto é professor da Rede Estadual de São Paulo, ativista do Setorial de Educação da CSP-Conlutas e organizador do livro "A Proletarização do Professor - Neoliberalismo na Educação" (veja ao lado).

Carla Andréa Silva = debate sobre a educação infantil = Carla Andréa é pedagoga da UMEI Rosalina Araujo Costa, da Rede Municipal de Niterói, e mestra em Educação pela UFRJ.

Marta Maia = debate sobre os projetos da Rede Municipal = Marta é professora da Rede Municipal de Niterói, mestra e agora doutoranda em Educação da PUC-Rio, sob orientação da professora Sônia Kramer.

"Escola Pública e Pobreza
no Brasil"
Eveline Algebaile = debate sobre educação integral = Eveline é professora da Faculdade de Formação de Professores da UERJ, doutora em Educação pela UFF e autora do importante livro "Escola Pública e Pobreza no Brasil" (veja ao lado).

Bruno Miranda Neves = debate sobre educação integral e EJA = Bruno é professor da EJA em Nova Iguaçu e do Colégio de Aplicação da UERJ e mestre em Educação pela UERJ.

Mesa sobre Gestão Democrática: o objetivo desta Mesa é aprofundarmos a discussão sobre o que é, afinal, a gestão democrática da escola pública? Porque ela é tão importante? Como ela pode acontecer na prática? Consideramos tal discussão de grande importância, pela convicção em que afirmamos: é impossível pensar um projeto de educação crítico, diferente, transformador, sem democracia na escola!

Colaboradores da Mesa sobre Gestão Democrática:

Florinda Lombardi na ocupação da Prefeitura do Rio em 1989
na luta pelas eleições diretas das direções de escolas.
Florinda Lombardi = Florinda é professora aposentada da Rede Estadual, dirigente histórica do SEPE-RJ, e reconhecida ativista da luta pela gestão democrática na escola pública, tendo sido uma das lideranças da luta pelas eleições diretas para as direções de escolas da Rede Estadual nos anos 80, que foi conquistada pela categoria e permitiu importantes experiências de gestão democrática na prática, experiências estas que têm de ser conhecidas.

Paulo Sgarbi = Paulo é professor da Faculdade de Educação da UERJ (Rio), doutor em Educação pela UERJ, atua principalmente em estudos sobre o cotidiano escolar, avaliação da aprendizagem, currículo, imagem, cotidiano e formação de professores, apoiou a greve da educação de Niterói em 2013 e participou do II Encontro sobre o PCCS que ocorreu durante aquela greve na Escola Municipal Paulo Freire.

SOBRE O SEMINÁRIO - A IMPORTÂNCIA!

Recentemente a FME enviou para as Escolas e UMEI's da Rede Municipal de Niterói um documento intitulado "A Escola que queremos - repensando a organização pedagógica da Rede Municipal de Educação de Niterói". Pouco antes, em junho, o governo federal aprovava o novo Plano Nacional de Educação (PNE), com vigência de 2014 a 2024. Em todo o país estão sendo tocados discussões governamentais e medidas de reestruturação das redes públicas de educação, e como o novo PNE este processo tende a se acelerar. As novidades intentadas pelos governos afetarão profundamente as condições de trabalho de nós, profissionais da educação, e o direito à educação de qualidade socialmente referenciada das crianças, jovens e adultos brasileiros.

O que está em curso é uma disputa de projetos de educação pública, e a tendência é excluir a voz ativa e independente dos trabalhadores da educação, impondo projetos de cima para baixo. A tendência é que em Niterói também se faça assim. Não foi assim que aconteceu em outros momentos, mais de uma vez? A categoria debatia os projetos de educação, fazia propostas, e os governos engavetavam tudo e impunham outra coisa? Ao enviar o documento referido acima, a FME solicitou que a categoria discutisse o mesmo nas escolas um novo Projeto de Educação para a Rede. O debate não animou muito. Há uma descrença de que as opiniões da categoria serão realmente consideradas. O cotidiano massacrante do trabalho, por outro lado, não favorece um bom debate político-pedagógico.

Seguindo deliberação da Assembleia Geral da categoria de 17 de setembro, desta vez queremos que seja diferente! O SEPE-Niterói convoca a categoria a se organizar! Temos que tomar os debates político-pedagógicos em nossas mãos e lutar por um projeto nosso, dos trabalhadores! É com esse objetivo que convocamos o Seminário de Educação do SEPE-Niterói, com o tema "Projetos Político-Pedagógicos, Currículos e Gestão Democrática das Escolas e UMEI's e da Rede Municipal de Educação de Niterói - Pensando um Projeto dos Trabalhadores". Não podemos aceitar que o projeto de educação da nossa escola pública seja feito apenas pelo governo! Temos que nos organizar para fazer o nosso projeto e o impor ao governo - um projeto verdadeiramente dos trabalhadores! Nossa referência é que a construção da escola pública de qualidade será uma obra coletiva, dos trabalhadores, ou não será. Mãos à obra!

GT DE POLÍTICAS EDUCACIONAIS
DO SEPE-NITERÓI

E para subsidiar as discussões político-pedagógicas por nós, profissionais da educação, o SEPE-Niterói lançou o Grupo de Trabalho de Políticas Educacionais (GTPE). O objetivo é debater e aprofundar, permanentemente, as ideias sobre a educação, para dar conta de um projeto alternativo a ser construído por nós, trabalhadores.

A primeira reunião do GTPE aconteceu dia 08 de outubro e contou com a apresentação do trabalho de mestrado de Jonas Magalhães, ex-pedagogo da Rede Municipal de Niterói, atualmente pedagogo da Faculdade de Educação da UFF e dirigente do SEPE-Niterói. Jonas desenvolveu um importantíssimo trabalho de pesquisa sobre os saberes docentes das professoras alfabetizadoras da Rede Municipal do Rio de Janeiro.

A próxima reunião do GTPE será dia 17 de outubro, próxima sexta-feira, as 18:30 na sede do SEPE-Niterói. Nesta reunião nos dedicaremos ao estudo do documento elaborado pela FME sobre a revisão do projeto político-pedagógico da Rede, "A Escola que queremos - repensando a organização pedagógica da Rede Municipal de Educação de Niterói". Em breve disponibilizaremos tal documento para download.

PARTICIPE DO SEMINÁRIO!
E DO GTPE DO SEPE-NITERÓI!

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Rede Municipal de Niterói - Sindicato lança GT de Políticas Educacionais: Pensando um projeto de educação dos trabalhadores - Quarta, 08/10, 18:30!

ATENÇÃO CATEGORIA - Rede Municipal de Niterói

ADIADO PARA QUARTA-FEIRA, 08/06 - 18:30


SEPE-Niterói lança o seu GRUPO DE TRABALHO DE POLÍTICAS EDUCACIONAIS! Nesta quarta-feira, 08 de outubro, 18:30, na sede do SEPE-Niterói. O objetivo do Grupo de Trabalho (GTPE) é reunir periodicamente todos e todas, nós, trabalhadores/as, que quiserem participar no debate teórico, pensar e colaborar na construção coletiva de um projeto dos trabalhadores para a educação de Niterói!

Na primeira reunião, contaremos com a apresentação do trabalho de mestrado do companheiro Jonas Magalhães - pedagogo da UFF, dirigente do SEPE-Niterói e ex-pedagogo da Rede Municipal de Niterói.

Participe! Vamos juntos!

domingo, 5 de outubro de 2014

Rede Municipal de Niterói - Sindicato lança GT de Políticas Educacionais - Pensando um projeto de educação dos trabalhadores - Segunda, 06/10, 18:30 no Sindicato!

ATENÇÃO CATEGORIA - Rede Municipal de Niterói


SEPE-Niterói lança o seu GRUPO DE TRABALHO DE POLÍTICAS EDUCACIONAIS! Nesta segunda-feira, 06 de outubro, 18:30, na sede do SEPE-Niterói. Pensando um projeto dos trabalhadores para a educação de Niterói!

Na primeira reunião, contaremos com a apresentação do trabalho de mestrado do companheiro Jonas Magalhães - pedagogo da UFF, dirigente do SEPE-Niterói e ex-pedagogo da Rede Municipal de Niterói.

Participe! Vamos juntos!

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Rede Municipal de Niterói - CAMPANHA - Vamos eleger Representantes de Escolas, UMEI's e Bibliotecas Populares do SEPE-Niterói

REDE MUNICIPAL DE NITERÓI

Olá categoria! O SEPE-Niterói está lançando uma Campanha de Eleição de Representantes das Escolas, UMEI's e Bibliotecas Populares da Rede! Com esta medida o visamos fortalecer a luta coletiva da categoria. Como? Ampliando as relações da categoria, de cada escola, UMEI e Bibliotecas Populares, com o sindicato, fortalecendo nossa representatividade, construindo juntos as políticas. Segue abaixo o material de formação, para ajudar na campanha. Participe! Um mais um é sempre mais que dois!

CAMPANHA DE ELEIÇÃO DE

REPRESENTANTES DAS ESCOLAS, UMEI's E BIBLIOTECAS POPULARES!

Eleja um/a representante da sua Escola, UMEI ou Biblioteca Popular para o SEPE-Niterói, o seu sindicato! Juntos, somos fortes! O SEPE somos nós, nossa força e nossa voz!

O SEPE NA ESCOLA... A ESCOLA NO SEPE!

O que o SEPE vai fazer?
Cadê o SEPE?
O SEPE ganhou...
Vou procurar o SEPE...
O SEPE errou!
Concordo com o SEPE!
Não concordo com o SEPE!

Olá colega! Você com certeza já ouviu, já disse, ou já pensou uma das perguntas ou expressões acima. Claro, pois o SEPE é o seu sindicato, logo ele tem que lhe servir para alguma coisa, não é? Ele tem que defender seu salário, suas condições de trabalho, seus direitos. O SEPE tem a sua Diretoria, aquela "galera do SEPE", que serve para isso... Aí, quando alguma coisa não dá muito certo, o SEPE não serviu! Mas quando dá certo, o SEPE "foi bem"... Afinal, será que é assim mesmo? O SEPE é "só" isso?

O QUE É O SEPE?

Queremos trazer outra ideia para você, colega: a de que o SEPE não é uma entidade externa a você! O SEPE é o nosso Sindicato, o Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação do Rio de Janeiro. Ele é você e toda a Escola / UMEI / Biblioteca Popular. Ou, pelo menos, deveria ser... Para ser forte, representativo, presente, o SEPE precisa estar em todas as Escolas / UMEI's / Bibliotecas Populares, e para isso precisamos dos Representantes da Escola / UMEI / Bibliotecas Populares!

Porque ter e eleger Representantes na sua Escola, UMEI ou Bibliotecas Populares?

É muito importante cada Escola, UMEI ou Bibliotecas Populares, ter pelo menos um (a) representante! Os (as) representantes são importantes porque a construção das várias lutas da categoria deve partir de cada Escola, UMEI ou Bibliotecas Populares, deve refletir as necessidades e vontades de cada colega. As conquistas só podem vir com a organização permanente do conjunto da categoria, e essa organização só se efetiva envolvendo todas as Escolas, UMEI's e Bibliotecas Populares da Rede.

Tem algum problema na Escola, UMEI ou Biblioteca? A unidade se organiza, informa ao SEPE, discute com o SEPE o que fazer... Começou a Campanha Salarial? A unidade se organiza para opinar sobre o que fazer, para acompanhar e opinar sobre as negociações com os governos... Pintou a discussão sobre fazer greve: é greve, sim ou não? É o momento certo? Temos que esperar mais? Perdemos o tempo? A unidade tem que opinar! E por aí vai...

O (a) representante é o elo de ligação entre as Escolas, UMEI's e Bibliotecas Populares com o SEPE! Com o (a) representante, o SEPE estará presente em todos os lugares, com todos nós, categoria! E toda a categoria estará no SEPE! Por isso é importante eleger o (a) representante! Se organize, vamos eleger!

O que o (a) representante faz?

O (a) representante ajuda a organizar a Escola, UMEI ou Bibliotecas Populares. Passa para o SEPE os problemas e opiniões do local de trabalho, da categoria. Leva para a Escola, UMEI ou Biblioteca as informações e ações do SEPE. Os (as) representantes de conjunto, de todas as unidades, ajudam a construir e dirigir o SEPE - suas políticas, ações, decisões - a partir do local de trabalho. São formuladores de políticas junto a Diretoria do Sindicato, ajudam a orientar e organizar os rumos das lutas da categoria!

Conselho de
Representantes de Base!

Com representantes eleitos (as) nas Escolas, UMEI's e Bibliotecas Populares da Rede Municipal de Niterói, o SEPE organiza o Conselho de Representantes de Base. Este Conselho deve se reunir mensalmente, COM ABONO DE PONTO (garantido pelo Ofício-Circular FME 40-2011) aos representantes, para discutir as questões dos locais de trabalho, da Rede e da categoria de conjunto. O Conselho, assim, ajuda a planejar e organizar as lutas coletivas da categoria!

Como eleger
o (a) representante?

1 - A Escola, UMEI ou Biblioteca tem o direito de eleger 1 (um) representante a cada 50 trabalhadores (efetivos e contratados) na Unidade, com fração de 25. Por exemplo: se a Escola, UMEI ou Biblioteca tem 60 trabalhadores da educação, ela pode eleger apenas 1 (um) representante. Mas se possui 75, poderá eleger 2 (dois). E assim por diante.

2 - Para realizar a eleição, basta pegar no SEPE um modelo de ATA (que também pode ser "baixada" no link mais abaixo) onde serão registrados o (s) nome (s) do (a/das) representantes eleito (s/as) e a assinatura dos trabalhadores que participam do processo de eleição do (a) mesmo (a).

ATA - http://www.seperj.org.br/admin/fotos/boletim/boletim505.pdf

3 - O normal é fazer a eleição em Reunião, podendo ser: (a) nos intervalos, em dias e horários diferentes para ser representativo; (b) o ideal é na Reunião de Planejamento semanal, por reunir mais colegas da Unidade. ATENÇÃO: os (as) Funcionários (as) podem e devem participar do processo, inclusive sendo representante (s), pois a representação é de toda a categoria dos Profissionais da Educação!

4 - Na reunião (ou reuniões), faz-se a discussão, elege-se o (s) representantes (s) (e suplentes) preenchendo a ATA. Depois, leve a ATA ao SEPE!

Eleja o (a) Representante (s) da sua Escola, UMEI ou Bibliotecas Populares
e participe da luta da categoria e do SEPE
pela Educação Pública, Gratuita e de Qualidade!

Participe e eleja o (a) representante, para fortalecermos a luta e nossa organização sindical. 14 escolas e UMEI's já fizeram processos de eleição (veja abaixo), faça também em seu local de trabalho. E vamos à luta!

Unidades que já elegeram seus representantes:

1- EM Tiradentes (Tenente Jardim)
2- EM Lúcia Maria Silveira da Rocha (Jurujuba)
3- UMEI Maria Luiza Sampaio (Charitas)
4- EM Santos Dumont (Centro)
5- EM Maralegre (Cafubá)
6- UMEI Alberto de Oliveira (Centro)
7- UMEI Rosalina Araújo Costa (Barreto)
8- NAEI Vila Ipiranga (Vila Ipiranga)
9- EM Paulo Freire (Fonseca)
10- UMEI Áurea Menezes (Itaipu)
11- EM Levi Carneiro (Sapê)
12- EM Maestro Heitor Villa-Lobos (Ilha da Conceição)
13- UMEI Olga Benário Prestes (Engenho do Mato)
14- UMEI Marly Sarney (Santa Bárbara)
15- EM Mestra Fininha (Barreto)
16- EM Prof. Marcos Waldemar de Freitas Reis (Itaipu)

CARTAZ DA CAMPANHA 


ATENÇÃO!
A primeira reunião do Conselho de Representantes será dia 07 de outubro.
Uma terça-feira, em dois horários: 7:30 e 13h na sede do SEPE-Niterói.